Federação  Cearense  de  Basketball

Fortaleza, 04 de julho de 2017

NOTA OFICIAL NO  133/2017

 

TRANSFERÊNCIAS DE JOGADORES (RITA FCB)

Sampdoria          Gerhard Philippe de Saboia Oliveira    FCB 6331   CBB 100625  Origem: DMB

                            Ricardo Philippe M.  S. de Oliveira     FCB 6506   CBB 85579    Origem: Kennedy Thunder

 

TRANSFERÊNCIAS NACIONAIS DE JOGADORES (RITA CBB)

a)  Antonio Alberto de Oliveira Mendes Filho    CBB 100534   Origem: AB Alto do Vale do Itajaí  (SC)

     Sulhyvan Eduardo de Souza Witer Filho        CBB 97555      Origem: AB Alto do Vale do Itajaí  (SC)

      

      Destino de ambos:   Moradanovense

b)  Andressa Aguiar Brito                                    CBB 60272      Origem: Clube de Santa Fé (SP)

      Destino: IBCC

 

REGRAS  3 X 3  ADAPTADAS PARA OS CAMPEONATOS  DA  FCB

Face aos recursos disponíveis (“soft” dos placares eletrônicos,  ginásios e situação financeira da FCB)

Art. 1   Quadra e Bola

   Será utilizada uma meia quadra do basquetebol convencional em que as linhas limítrofes não fazem parte da meia quadra de jogo, admitidas as bolas normais dos campeonatos da FCB.

Art. 2   Equipes

a)  Cada equipe é composta por 4 (quatro) jogadores, sendo 3 (três) na quadra e um substituto.

b)  Não será permitido inscrição de técnico de equipe.

 

Art.3    Oficiais de Jogo

             2 (dois) árbitros  de quadra e 2 (dois) mesários responsáveis pela súmula e placar eletrônico.

 

 Art. 4   Início do Jogo

              4.1   As equipes devem realizar aquecimento simultaneamente antes do jogo.

                       4.2  A primeira posse de bola deve ser determinada por cara ou coroa e a equipe que ganhar o lançamento da moeda decide se fica com a posse de bola no início da partida ou na prorrogação, caso seja necessário.     4.

              4.3   O jogo obrigatoriamente deve se iniciar com três (3) jogadores em cada equipe.

 

Art. 5   Pontuação

             5.1.  Será atribuído 1 (um) ponto a cada arremesso convertido dentro da área dos 3 pontos do basquetebol convencional.

             5.2   Serão atribuídos 2 (dois) pontos a cada arremesso convertido de trás da linha de 3 pontos do basquetebol convencional.

             5.3    Será atribuído 1 (um) ponto a cada lance livre convertido.

Art.6    Tempo de jogo/Vencedor do jogo

             6.1   O tempo regular de jogo é um período de 10 (dez) minutos.

             6.2   O relógio deve ser interrompido durante situações de bola “morta” e lances livres.

             6.3   Reinicio da contagem de tempo se dá quando ocorre a posse de bola pelo time que ataca.

 

             6.4   A primeira equipe que marcar 21 pontos ou mais, ganha o jogo se tal evento ocorrer antes do final do tempo regular de jogo. Essa regra é válida apenas para o tempo regular (não para uma possível prorrogação).

 6.5    Se o placar estiver empatado ao final do tempo de jogo, uma prorrogação será jogada, com  um intervalo de um minuto (1) antes da prorrogação. A primeira equipe que marcar dois (2) pontos, pelo menos, ganha o jogo.

            6.6   Uma equipe perderá o jogo por desistência se, no horário programado para o início da partida, não estiver presente na quadra de jogo com três (3) jogadores prontos para jogar. O resultado será marcado como WO.

            6.7     Uma equipe perderá a partida caso se retire de quadra antes do final do jogo ou caso tenha todos os seus jogadores machucados e/ou desqualificados. Nesta situação, a equipe a ser declarada vencedora pode escolher manter seus pontos ou vencer por WO e a equipe a ser declarada perdedora não pontuará (tem seu placar “zerado”) nos dois casos.

            6.8   Uma equipe perdedora por desistência ou uso de má fé perante as regras e ao espírito esportivo será excluída da competição.

 

Art. 7   Faltas/Lances Livres

             7.1    A equipe está em situação de penalidade por faltas coletivas quando tiver cometido seis (6) faltas no período e os jogadores não serão excluídos pelo número de faltas pessoais.  

             7.2   Será concedido um lance livre às faltas cometidas durante o ato de arremesso dentro da linha de 3 pontos do basquetebol convencional e serão concedidos dois lances livres às faltas cometidas durante o ato de arremesso de trás da citada linha.

             7.3     Será concedido um lance livre adicional às faltas cometidas durante o ato de arremesso em que este for convertido.

             7.4     Toda falta técnica será sempre recompensada com (1) um lance livre e posse de bola.

             7.5     Às 7ª, 8ª e 9ª faltas coletivas devem ser sempre concedidos dois lances livres.

             7.6   Contudo, a partir da 10ª falta coletiva e às faltas técnicas e antidesportivas que ocorram serão sempre concedidos dois lances livres e posse de bola.

             7.7    Ocorrendo faltas antidesportivas serão concedidos dois lances livres e posse de bola.

             7.8   Após uma falta técnica ou antidesportiva, a partida será reiniciada com o “Check Ball” no topo da quadra (tradução livre em que o atacante passa a bola para o defensor, que a devolve ao atacante, iniciando a contagem do tempo de posse).

             7.9    Não há concessão de lance livre após falta de ataque.

 

Art. 8   Como a bola é jogada

             8.1   Após cada arremesso bem sucedido ou último lance livre (exceto na posse de bola):

                      -  Um jogador da equipe que não pontuou reiniciará o jogo driblando ou passando a bola de dentro da quadra diretamente abaixo da cesta (não atrás da linha de fundo) para um companheiro atrás da linha de 3 pontos do basquetebol convencional.

                      -  A equipe de defesa não poderá impedir que isso ocorra.

             8.2    Após cada arremesso mal sucedido ou último lance livre (exceto os sucedidos por posse de bola):

                       -  Se a equipe que ataca ganha o rebote, pode continuar a tentativa de pontuar, sem voltar a bola para trás da linha de 3 pontos do basquetebol convencional.

                      -  Se a equipe de defesa ganha o rebote, deve voltar a bola, passando ou driblando, para trás da linha de 3 pontos do basquetebol convencional.

 

             8.3  Se a equipe que defende, rouba ou dá um toco na bola, deve voltar a bola, passando ou driblando, para trás da linha de 3 pontos do basquetebol convencional.

             8.4   A posse de bola dada a qualquer equipe após uma situação de bola morta deve começar com um “Check Ball” (troca de bola entre o jogador de defesa e o de ataque, como está em  7.8)  

             8.5 O jogador é considerado como atrás da linha de 3 pontos do basquetebol convencional, quando nenhum de seus pés se encontra dentro ou pisando na linha limítrofe.

             8.6    Caso ocorra “bola presa”, a posse de bola deve ser dada à equipe que defende.

Art. 9   Protelação

             9.1   Protelar ou deixar de jogar ativamente na tentativa de pontuar deve ser considerado como violação.

             9.2   O tempo de posse de bola para tentar um arremesso é de 14 segundos e a contagem deve começar assim que a bola chega às mãos do jogador de ataque (após o “Check Ball” ou depois de um arremesso bem sucedido, abaixo da cesta).

             9.3   É uma violação, se após a bola estiver livre para jogo, um jogador dribla por mais de cinco segundos, vale dizer, um jogador só pode permanecer com posse de bola  durante 5 segundos.

 

Art. 10   Substituição

               A substituição será permitida a qualquer equipe quando a bola estiver “morta”, antes do “Check Ball” ou lance livre. O substituto só poderá entrar após seu companheiro sair de quadra, estabelecendo contato físico, caracterizando a substituição, que deverá ocorrer atrás da linha de fundo oposto a cesta e não há necessidade de intervenção dos Oficiais (Árbitros ou Mesários).

 

Art. 11   Pedido de tempo

               Um único pedido de tempo de 30 segundos é concedido a cada equipe e só pode ocorrer em uma situação de bola “morta”.

 

Art. 12   Desqualificação ou eliminação de futuras competições

                12.1  Um jogador que tenha cometido duas faltas antidesportivas ou duas faltas técnicas será desqualificado da partida e suspenso da partida seguinte, se for o caso.

               12.2  Atos de violências (agressões verbais ou físicas a adversários ou aos componentes das arbitragens) eliminarão o(s)  agressor(es) sumariamente de futuras competições, como forma de preservar a ética desportiva.

 

Art. 13   Faixas etárias

               Em princípio, serão seguidas as que se seguem:

               Sub 15  (M / F)                  13 a 15 anos                       Sub 17  (M / F)          15 a 17 anos

               Sub 19 (M / F)                   17 a 19 anos                       Adulto  (M / F)            A partir de 17 anos                        

Art. 14   Admissibilidade de jogadores

               Exclusividade para jogadores amadores, não sendo admitidos os de nível de alto rendimento e que de algum modo recebem vantagens materiais e/ou financeiras e todos deverão estar inscritos na FCB e na Confederação Brasileira de Basketball, nas formas dos respectivos RITA´s.

 

Adelson Leite Julião

Presidente




Adelson Leite Julião

Presidente

Versão para impressão